Saiba mais

Ronco

Existem estatísticas indicando que a população entre 30 a 35 anos de idade, 20% dos homens e 5% das mulheres, ronca. Na faixa dos 60 anos de idade, mais da metade das pessoas roncam.

O ronco praticamente só acontece na espécie humana, já que a quase totalidade dos animais - exceto o homem - dorme em decúbito ventral ou lateral, impedindo a queda da mandíbula em direção à garganta. Uma vez que os primatas adotaram o decúbito dorsal (barriga para cima) para dormir, adquiriram a inédita capacidade de roncar.

O ruído característico do ronco durante o sono pode se originar em qualquer ponto da via aérea, desde o nariz até a epiglote, na entrada da laringe.

São causas do ronco:

O ronco pode ocorrer de forma isolada ou estar associado à síndrome de apnéia obstrutiva do sono (SAOS). A interrupção abrupta do ronco durante alguns segundos pode indicar a ocorrência de um episódio de apnéia, seguindo-se um novo ronco de maior intensidade, forçando a abertura da vida aérea e reiniciando a respiração.

O tratamento do ronco segue as mesmas orientações do tratamento da apnéia obstrutiva do sono.

Abrir o artigo Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono

Adaptações de textos da Fundação de Otorrinolaringologia