Saiba mais

Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono

Todos nós sabemos que uma boa noite de sono é fundamental para nossa saúde.Mas não basta deitar e dormir a noite toda (sem fazer barulho...) para acordar bem no dia seguinte. Hoje em dia, é consenso entre os médicos que a qualidade do sono (e não apenas o número de horas durante as quais o indivíduo dorme) também é importante para um repouso adequado, repondo as energias gastas na rotina diária.

A cada parada da respiração, a baixa de oxigenação pode desencadear um sinal de alerta, ocasionando despertares rápidos durante a noite, muitas vezes sequer percebidos pela própria pessoa. Somando-se todos esses despertares, contudo, o tempo de sono eficiente é pequeno, e isso explica porque o indivíduo já acorda cansado.

Algumas pessoas sofrem com a Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono - SAOS, que é a dificuldade para respirar enquanto se está dormindo, podendo ser provocada por vários fatores como, por exemplo, alterações anatômicas (ocasionando obstrução do nariz ou da garganta), alterações posturais (dormir de barriga para cima), predisposição familiar, efeitos medicamentosos (sedativos, calmantes e outras drogas), maus hábitos (fumar, beber álcool no jantar, comer logo antes de dormir), aumento de peso e sedentarismo.

A baixa oxigenação sangüínea durante a noite pode afetar o aparelho cardiovascular, levando à hipertensão arterial, arritmias cardíacas, impotência sexual, ou o próprio funcionamento cerebral, prejudicando a concentração em determinadas atividades e a memória. Para se ter uma idéia da gravidade da síndrome, os pacientes com apnéia sofrem acidentes de trânsito sete vezes mais do que a população geral.

A Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono pode ocorrer em qualquer faixa etária, com pico de incidência entre os 40 e 50 anos. A obesidade é o principal fator de risco para a síndrome, destacando-se que cerca de 2/3 dos pacientes com SAOS são obesos. Além disso, é possível que existam fatores genéticos associados, o que explica o fato de várias pessoas da mesma família apresentarem tal quadro.

Deve-se ficar atento para a possibilidade de haver Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono, principalmente se a pessoa:

Tratamento

Perder peso, evitar ingestão de bebidas alcoólicas antes de dormir, ter um quarto silencioso e horários regulares para dormir, em regra, são medidas suficientes para melhorar os quadros de apnéia leve.

Quando são diagnosticadas outras causas para apnéia, como problemas anatômicos das vias aéreas superiores, o médico pode indicar o uso de medicamentos, aparelhos especiais para manter a respiração durante o sono (os CPAP's, sigla inglesa para aparelho de pressão positiva contínua) ou mesmo algum tipo de cirurgia, de acordo com a necessidade do paciente.

Adaptações de textos da Fundação de Otorrinolaringologia